Decoração Afetiva: a tendência que traz personalidade e aconchego através da história de cada um

 

A sensação única de viver em uma casa e se sentir parte dela! Com o isolamento social recomendado pelos órgãos de saúde, o tempo de permanência em nossos lares tem sido maior, então vamos aproveitar para deixarmos crescer os laços com o local que escolhemos para morar, ressignificando os ambientes a partir das nossas singularidades.

Nesse momento de recolhimento, o design de interiores se sobressai e ultrapassa a premissa utilitária do melhor aproveitamento de cada ambiente, nos apresentando a Decoração Afetiva. É uma tendência que nos aproxima de nossas recordações e nos traz o prazer da construção de um universo particular, que faz com que cada passo dentro de casa traga à tona sentimentos únicos e calorosos.

 

 

A construção de uma decoração afetiva pode parecer complicada num primeiro momento, principalmente se acharmos que para isso seriam necessários objetos valiosos, garimpados em viagens ou herdados, mas a beleza desse tipo de decoração está justamente na simplicidade. Os objetos devem ser um retrato verdadeiro do morador.

 

 

Cartões postais, revistas, retratos de família, objetos trazidos em viagens ou mesmo aquele brinquedo de infância que lhe acompanhou em grandes aventuras, as possibilidades de decoração são infinitas – e não existe certo ou errado – desde que eles dialoguem com a sua história e lhe tragam conforto, contribuindo na construção de uma casa viva, com um cenário rico e cheio de afeto.

Um novo olhar sobre os ambientes, buscando torná-los mais pessoais, nos permite transformar nossas casas em fortalezas, onde podemos passar boa parte do dia sem sentir a necessidade de sair por qualquer motivo, pois ali nos sentimos completos, temos nosso porto seguro.

Uma dúvida comum é se podemos aplicar os conceitos da Decoração Afetiva em todos os ambientes da casa ou escolher apenas alguns específicos. Essa questão deve ser avaliada caso a caso, não existe uma resposta pronta, mas a ideia geral é que ela pode sim fazer parte da casa como um todo, seja em objetos, móveis ou cores.

 

 

Quando adotamos a afetividade na decoração de nossas casas passamos a observar o mundo com um olhar muito mais atento, eternamente buscando objetos que possam compor nossos cenários, conectando a história que fizemos parte com a que estamos construindo.

 

 

Valorizar sua história pessoal, emocionar, conectar… seja qual for a premissa ao imaginar a decoração afetiva para sua casa, o aspecto mais importante é sentir-se feliz. E criar ambientes aconchegantes e confortáveis recheados de objetos que você ama certamente irão impulsionar esse sentimento, transformando a sua casa definitivamente num lar!

Se você já coloca em prática essa tendência na sua casa, compartilhe conosco nos comentários ou em suas redes sociais marcando a Virmond.

Gostou? Compartilhe!